Água Mineral: uma fonte de benefícios para a saúde

Desde criança se aprende que o consumo de água é vital para o corpo humano. Líquido precioso, a água cumpre um papel importante no organismo. Além de regular muitas funções, como a temperatura corporal e o bom funcionamento do sistema circulatório, a água também contribui para o transporte de nutrientes e é essencial em todos os processos fisiológicos e bioquímicos do nosso corpo.
Com a busca crescente por bem-estar e qualidade de vida, a chamada onda saudável, o consumidor brasileiro está cada vez mais consciente de que, dentro da categoria água, a mineral natural é especialmente benéfica para a saúde. O aumento do consumo do produto atesta essa tendência. Segundo dados da Abinam, o mercado apresenta patamares de crescimento próximos a 20% ao ano. O Brasil é hoje 8º maior produtor mundial de água mineral envasada, com 7% de participação no mercado global.
"A indústria de água mineral é uma das que mais cresce no Brasil, porque as pessoas querem um produto natural", explica Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam. Segundo ele, o crescimento do setor está relacionado a hábitos mais saudáveis dos brasileiros, que têm buscado reduzir a presença de a presença de bebidas açucaradas e com adoçantes nas refeições.

Cardápio diversificado
Por definição as águas minerais são aquelas provenientes de fontes naturais ou de fontes artificialmente captadas que possuam composição química ou propriedades físicas ou físico-químicas diferentes das águas comuns, com características que lhes confiram uma ação medicamentosa.
Como são classificadas de acordo com a composição química, origem da fonte, temperatura e gases presentes, o que dá a cada tipo propriedades específicas, o consumidor tem à sua disposição um amplo cardápio de opções.
O problema é que muitos consumidores ainda não desenvolveram o hábito de consultar o rótulo para saber qual tipo de água estão comprando e sua composição, cuja especificação é obrigatória nas embalagens e, assim, tornar a escolha consciente para beneficiar-se dos seus poderes medicinais, de acordo com a sua necessidade e preferência.
Além de ser, de modo geral, um poderoso suplemento nutricional, há água mineral com as mais diversas propriedades terapêuticas. As fluoretadas, por exemplo, são indicadas para a saúde dos dentes e ossos. O seu consumo é recomendado pela Organização Mundial da Saúde para prevenir doenças da boca. As brometadas são sedativas e tranquilizantes, ajudam a combater a insônia e o nervosismo. A sulfatada atua como antinflamatório e antitóxico.

A importância da água no organismo humano

Entre 50 e 70% do corpo humano é composto de água. Por isso a água é essencial à vida e ao bom funcionamento de todo o organismo.
A água é imprescindível para manter diversas funções vitais e órgãos do nosso corpo:
• Os rins chegam a ter 83% de água, enquanto o coração, os pulmões e o sangue ficam com algo em torno de 80%;
• É importante para a digestão e transporte dos nutrientes para as células;
• Atua como lubrificante nos olhos e entre os ossos;
• Tem fundamental participação na atividade cerebral e no funcionamento do sistema nervoso;
• Equilibra a temperatura do corpo.
No entanto, estamos permanentemente eliminando água do organismo. Somente com a respiração são 0,3 litros por dia. Quando a temperatura ambiente é alta ou quando fazemos exercícios físicos, a perda é de 0,8 litros por hora. Mais 1,5 litro se perde com a urina, a evacuação e a salivação. Pode parecer pouco, mas começa a ser perigoso quando esse volume se aproxima de 1% do peso corporal, quando é ativado o processo de desidratação, já que a função vital de muitos órgãos dependem da quantidade equilibrada de água.
Repor líquido constantemente é uma necessidade tão importante quanto respirar. E a quantidade recomendada para todas as pessoas gira em torno de 2 litros de água diários.
A não reposição adequada de água resulta em moderada ou aguda desidratação. Nesses casos surgem alguns sintomas como dor de cabeça, dificuldade de concentração, dor nas costas, hipertensão entre outros. Uma pessoa pode passar até dois meses sem ingerir alimento sólido, mas não passaria mais de 48 horas sem consumir líquido sob pena de sérios riscos à saúde e à vida.


Água na natureza
Embora possa parecer que a Terra seja um grande "reservatório" de água, a maior parte dela não está disponível para consumo humano: os oceanos constituem cerca de 97,5% da água do globo terrestre; 1,9% estão localizadas nas calotas polares e geleiras; 0,6% é encontrada na forma de água subterrânea, em lagos, rios e também na atmosfera, como vapor d’água, e apenas 0,6% da água do planeta pode ser usada para consumo humano.

Como levar esse 0,6% de água até a população?
No Brasil, o Ministério da Saúde estabelece os procedimentos e responsabilidades que asseguram o controle da qualidade e distribuição da água para consumo humano. No entanto, milhares de cidadãos ainda não têm acesso à água de qualidade, uma vez que, aproximadamente, 45% dos municípios brasileiros não possuem saneamento básico.
A falta de infraestrutura no tratamento e distribuição da água é responsável por 65% das internações hospitalares no Brasil devido às doenças transmitidas pela água. A cada ano, mais de 5 milhões de pessoas morrem no mundo por ingerirem água de má qualidade ou contaminada.

Água Mineral: 100% natural
A água mineral é obtida diretamente de fontes naturais sem alteração de sua qualidade, características naturais e de pureza. Nenhum elemento é adicionado ou retirado. Todas as etapas de produção, que vão desde a captação até chegar ao consumidor final, obedecem a rigorosos padrões nacionais e internacionais de higiene.
Os sais minerais presentes nas águas minerais podem oferecer efetiva contribuição à nutrição e à saúde do organismo. Flúor (prevenção de cáries), Sódio (músculos e nervos), Magnésio (previne hipertensão), Cromo (regula taxas de açúcar no sangue), Cobre (absorve ferro na forma de hemoglobina), Manganês (sistema reprodutivo), Zinco (sistema imunológico), Cálcio (osteoporose), Bicarbonatos (nível de acidez no estômago) e Sulfato (digestão).
Disponível ao consumidor em diversos tipos de embalagens, são as versões de 10 e 20 litros que mais estão presentes nos lares brasileiros, o equivalente a 65% da produção de água mineral no País.
A água mineral, uma vez que possa ser mais acessível à população brasileira, é a única alternativa no curto e médio prazos para diminuir as doenças causadas pela falta de saneamento básico no Brasil e, consequentemente, os custos gastos com a saúde no atendimento e tratamento dos brasileiros.

Referências Bibliográficas
1. WHITMIRE SJ. Água, eletrólitos e equilíbrio ácido-base.
In: Kathleen Mahan & Sylvia Escott-Stump. Krause - Alimentos, Nutrição e Dietoterapia, 11ed. São Paulo: Roca, 2005;156-169.
2. WAITZBERG DL. Água. In: Waitzberg DL. Nutrição Oral, Enteral, Parenteral na Prática Clínica. 3ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2000; 3-13.
3. PEDROSO ERP. Água e eletrólitos. In: Dutra-de-Oliveira JE, J Sérgio Marchini. Ciências Nutricionais. São Paulo: Sarvier, 2008; 131-168.
4. PETRACCIA L et al. Water, mineral waters and health. Clinical Nutrition 2006,25,377-85.
5. TARINI VAF, Vilas L, Zanuto R, Silva HCA, Oliveira ASB. Calor, exercício físico e hipertermia: epidemiologia, etiopatogenia, complicações, fatores de risco, intervenções e prevenção. Revista Neurociências 2006,14(3):144-52.
6. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Corsan. Ambiente: Fontes de água/Uso da água. Disponível em:
http://www.corsan.com.br/node/11
7. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Sabesp. Saneamento: Como é tratada a água que vai para sua casa. Disponível em:
http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=40
8. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO. IBGE. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico - 2008.
9. INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. Água. Disponível em:
http://www.idec.org.br/biblioteca/mcs_agua.pdf
10. ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DA SÁUDE. Água e Saúde, 2001.
11. ANVISA. RDC nº 274, 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico de Características Microbiológicas para Água Mineral e Água Natural. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/6019a48045c00c08a84afed7a095f735/RDC_274_2005.pdf?MOD=AJPERES

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 
 
ABINAM - Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais
Rua Pedroso Alvarenga, 584 | 4º andar | conj. 43 | 04531-001 | São Paulo | SP | Brasil
Tel/Fax: +55  11  3077-2050 | 3167-2008
  |  E-mail: atendimento@abinam.com.br 

 

 
Nipotech