icone telefone

+55 (11) 3077-2050 | 3167-2008

Quem somos

ABINAM – Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais é uma entidade civil sem fins lucrativos, criada para congregar e defender os interesses das indústrias brasileiras de água mineral natural.

A associação foi constituída em 7 de novembro de 1947, no Rio de Janeiro, com a denominação ‘Associação Profissional da Indústria de Águas Minerais’. Em 25 de novembro de 1975 assumiu a atual nomenclatura. Em 1994, a entidade foi transferida para a capital paulista, com o objetivo de favorecer a sua atuação em todo território nacional.

Ao longo da sua existência, a ABINAM tem contribuído de forma incisiva para o desenvolvimento do setor, da qualidade da água envasada e do termalismo. Também tem atuado na área de educação, treinamento e crescimento empresarial de seus associados, especialmente na promoção de cursos e seminários técnicos.

A entidade responde ainda pela regularidade da realização do congresso anual da ABINAM, sempre com a participação de especialistas estrangeiros e brasileiros, que asseguram a disseminação de informações e conhecimentos essenciais à modernização do setor. Os congressos têm o mérito de estreitar o relacionamento com outras instituições internacionais, as indústrias e seus fornecedores de equipamentos e serviços de águas envasadas, resultando em amplos benefícios para a atividade.

A ABINAM é membro associado de conceituadas e reconhecidas entidades internacionais e mantem permanente intercâmbio com instituições congêneres de diferentes continentes, assegurando informações atualizadas sobre o setor.

De 1998 a 2006, a ABINAM foi membro da mais importante organização mundial do setor, o Grupo Internacional das Indústrias de Águas Minerais Naturais da União Europeia (UNESEM/GISEMES), originalmente criada em Paris no início dos anos 50, para promover as águas minerais naturais.

A associação representa o Brasil e os interesses do setor em nível internacional, como membro ativo, desde 2011, do Conselho Internacional das Associações de Águas Engarrafadas na International Council of Bottled Water Associations (ICBWA).

Junto aos poderes públicos do setor (Ministério de Minas e Energia, Ministério da Saúde e Ministério do Meio Ambiente), a ABINAM tem colaborado na elaboração de legislações e normas que contribuam para a melhoria da qualidade do produto e elevação do conceito das águas minerais naturais brasileiras.

Colabora também com a revisão de legislações e normas com o objetivo de impulsionar o setor e atender às demandas do mercado de água mineral natural, beneficiando produtores e consumidores cada vez mais exigentes.

Com o crescimento de consumo no Brasil, a ABINAM empenhou-se na criação de normas para aprimorar a qualidade do envase em garrafões retornáveis, garantindo maior segurança aos consumidores.

Nesse sentido, a ABINAM firmou um acordo, em 2001, com a NSF International, uma das mais respeitáveis  certificadoras internacionais de qualidade na área de alimentos, com o objetivo de certificar a qualidade das águas minerais naturais brasileiras e incentivar as envasadoras a buscar o Selo NSF.

Atualmente, a NSF é acreditada pelo Inmetro para realizar as certificações. Hoje são inúmeras empresas que já possuem a chancela do órgão.

A associação tem se dedicado também, juntamente com as empresas produtoras, a orientar e aprimorar a qualificação do comércio de água mineral natural em todas as formas de embalagem dentro das normas da ABNT, Inmetro, Procon, entre outras.

No caso do envase de água mineral natural em garrafões, a ABINAM contribuiu com a formulação de regras no âmbito das normas da ABNT, ANM, Anavisa e Procon.

Outra frente de atuação da ABINAM é a defesa do setor diante das irregularidades das chamadas águas mineralizadas ou adicionadas de sais, segmento que tem crescido sobretudo na região Nordeste, sem atender às exigências da legislação brasileira referente às boas práticas na produção e comercialização do produto.

A ABINAM é a entidade máxima de representação do setor das indústrias de água minerais naturais e potáveis de mesa, sem fins lucrativos, que visa congregar, proteger e defender os interesses do setor, bem como de todo o ciclo produtivo no âmbito da legislação em vigor.

Waldemar Junqueira Ferreira Filho, Carlos Alberto Lancia e César Dib, três dos presidentes do Sindinam/Abinam

Diretoria – Triênio 2019/2022

A diretoria da ABINAM é constituída por um presidente, dois vice-presidentes, diretor-secretário, diretor-tesoureiro, diretor-social e diretor-regional. É composta ainda por um Conselho Fiscal formado por três conselheiros efetivos e três suplentes. Todos com mandatos de três anos.

Por meio de suas Superintendências Regionais, a ABINAM está presente em todas as regiões do Brasil – Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

A atual composição da diretoria da ABINAM – Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais está assim composta:

DIRETORIA ABINAM

Presidente
  • Carlos Alberto Lancia
1º Vice-Presidente
  • César Dib
2º Vice-Presidente
  • Antônio Gomes Vidal
Diretor Secretário
  • Wilmar Franzner

 

Diretor Tesoureiro
  • Ricardo Signorelli
Diretora Social
  • Olívia Augusta A. Macedo Costa
Diretora Regional
  • Mariana Kochi

Conselho Fiscal

Efetivos
  • Adriano Dibo Martins
  • Marcelo Marques
  • Roberto de Almeida Ferreira da Silva
Suplentes
  • Eduardo Chimello
  • José Ângelo Rambalducci
  • Roberto Serquiz Elias

Superintendentes Regionais

Região Norte
  • Luiz Cruz | AM
  • Fabrízio Mendes Duailibe | MA
  • Fábio Pamplona Daibes | PA
  • César José Perón | RO
Região Nordeste
  • Marcos E. Cintra Santos | BA
  • Lucas Ferlanci | CE
  • José Carlos Cunha Lima | PB
  • Roberto P. Serquiz Elias | RN
Região Centro-Oeste
  • Celso C. Rezende | GO
  • Murilo Tebet Thomé | MS
  • Wilmar José Franzner | MT
  •  
Região Sudeste
  • José Ângelo Rambalducci | ES
  • Fabrício Araújo Nogueira | MG
  • Marcelo H. Pacheco | RJ
Região Sul
  • Célio Baggio | PR
  • Jairo Zandoná | RS
  • Tarciano Oliveira | SC
Sub-região Bauru
  • Wellington Morgado
Sub-região Central
  • Alfredo de Oliveira Neto
Sub-região Circuito das Águas
  • César Dib
Sub-região Ribeirão Preto
  • José Carlos Gleriano
Sub-região São José do Rio Preto
  • Eduardo Chimello Neto
Sub-região Sorocaba
  • Liane Bruckneer Soares
Sub-região Vale do Paraíba
  • Mário Cézar de Barros
A ABINAM está presente em todo o Brasil.

Assessorias

As assessorias da ABINAM visam prestar assistência aos associados sobre as legislações de águas minerais naturais, com o objetivo de promover qualificação profissional, além de incentivar a melhoria do desempenho dos associados na produção de água mineral natural e potável de mesa.

Assessoria Científica e Técnica

Destaca-se também a atuação do Comitê Científico da ABINAM, representado pela Profª Dra. Petra Sanchez Sanchez e o geólogo Carlos Alberto Lancia, que visa a colaborar na revisão de legislações de águas minerais naturais, bem como na realização de eventos e programas educacionais, com o objetivo de promover qualificação profissional, aprimoramento técnico, científico, cultural, além de incentivar a melhoria do desempenho dos associados na produção da água mineral natural e potável de mesa.

Carlos Alberto Lancia é hidrogeólogo, com pós-graduação em Administração de Empresas e Marketing, e tem mais de 35 anos de experiência no setor de águas minerais naturais. Tem ocupado vários cargos em empresas e, a partir de 1995, foi eleito presidente da ABINAM e do SINDINAM. Lancia também atua no Conselho Internacional de Associações de Água Envasada (ICBWA) desde 2011. Atualmente é diretor da FIRJAN – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Mais recentemente é membro do Conselho Temático da Mineração (Comin).

Petra Sanchez Sanchez é farmacêutica bioquímica (USP); especialista em Saúde Pública (FSP/USP); doutora em Ciências (Microbiologia) USP. Exerceu a função de pesquisadora científica e cargos de direção na Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Ex-professora titular do curso de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP). Presidente do Comitê Científico da ABINAM e membro diretor do Comitê Internacional das Associações de Águas Envasadas (ICBWA).

Assessoria Jurídica

A assessoria jurídica da ABINAM mantém efetiva representação na elaboração e revisão de legislação junto aos diversos órgãos dos governos municipal, estadual e federal.

A associação conta com a assessoria jurídica do Dr. Carlos Pedrosa para prestar esclarecimentos jurídicos aos associados sobre atividades relativas ao setor de água mineral natural, água potável de mesa e termalismo, nas áreas fiscal, trabalhista, minerária, ambiental, entre outras.

Assessoria de Comunicação

A IMK Relações Públicas é a assessoria de comunicação oficial da ABINAM,  responsável pelo contato com a imprensa nacional e pela edição bimestral da revista Água&Vida.

Márcia de Azevedo, sócia-proprietária da empresa, está disponível para atender as demandas de jornalistas pelo telefone 11 3813 1300 e e-mail: marcia.azevedo@imk.com.br

Assessoria Ambiental

Comitês:

Ricardo Signorelli: ricardo.sig@uol.com.br
Gilberto Menezes: gilbertomenezes@uol.com.br

Comitê Regulatório e de Qualidade
Comitê de Marketing
Comitê Tecnológico
Comitê de Sustentabilidade
Comitê Tributário

Prêmios

A ABINAM busca homenagear personalidades que se destacam na promoção e valorização da indústria de águas minerais naturais e potáveis de mesa.

Comenda Dr. Benedictus Mário Mourão

A Comenda Dr. Benedictus Mário Mourão é uma distinção honrosa destinada a homenagear personalidades que se destacaram na promoção e valorização das águas minerais naturais, além dos segmentos de crenologia e termalismo.

Inspirada na trajetória do médico dermatologista e crenologista, Benedictus Mário Mourão, a premiação foi instituída em 2009 e é outorgada durante o congresso da ABINAM.

Dr. Mourão foi um dos mais eruditos conhecedores e divulgadores das propriedades medicinais e terapêuticas das águas minerais.

Autor de 15 livros sobre crenologia, reconhecidos internacionalmente, foi membro correspondente da Academia Nacional de Medicina; da Academia de Medicina de São Paulo; do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais; diretor-científico da Sociedade Brasileira de Termalismo; presidente da Comissão Brasileira de Estudos Médicos da “Fédération Internacionale du Thermalisme et du Climatisme – FITEC; titular da Comissão Permanente de Crenologia do Ministério das Minas e Energia; além de diretor dos Serviços Termais da Prefeitura de Poços de Caldas, MG.

É reconhecido como a maior autoridade do termalismo brasileiro e considerado pelo setor como Patrono da Crenologia Nacional por ter prestado relevantes serviços, ao longo de mais de 90 anos, à causa crenológica e crenoterápica do Brasil e do mundo.

Waldemar Ferreira Junqueira

Criado em 2001, o prêmio é destinado a homenagear, a cada congresso da ABINAM, envasadores e fornecedores que mais contribuem para a promoção da água mineral natural, por meio do desenvolvimento de estratégias e ações criativas e diferenciadas de propaganda e marketing de produtos.

Waldemar Junqueira Ferreira Filho foi médico cardiologista, especializado em medicina ortomolecular. Além da vocação médica, foi profundo estudioso das propriedades terapêuticas das águas minerais naturais e empresário do setor, respondendo pelo comando da empresa Águas da Prata por muitos anos.

Fraterno Vieira de Jornalismo

A premiação tem por objetivo reconhecer a contribuição de matérias jornalísticas para a difusão e valorização da água mineral natural no mercado brasileiro, publicadas em veículos impressos e eletrônicos. A premiação é voltada para envasadores, fornecedores e jornalistas.

Criado pela ABINAM, em 2012, o prêmio foi inspirado no jornalista Fraterno Vieira, considerado um dos ícones da imprensa brasileira, idealizador da revista Água & Vida, com amplo e competente trabalho de comunicação desenvolvido em prol da indústria brasileira de água mineral natural e potável de mesa.

Superintendente do Ano

Tem por objetivo destacar e reconhecer, anualmente, o trabalho realizado por um dos superintendentes da ABINAM em prol do fortalecimento do mercado e da qualidade da água mineral natural.

Palavra do Presidente

Água Mineral Natural

17-09-2020

Multifuncionalidade da Água Mineral

No dia mundial da água (22 de março), vale trazer a público pesquisa ainda atual realizada pela PUC – São Paulo, no final da década de 90, que já abordava um aspecto muito interessante relacionado ao futuro desse recurso. O trabalho tomava por premissa, com base em previsões de organismos internacionais, que a água seria um ‘artigo’ escasso no mundo. E, por consequência, caro, estimulando a cobiça internacional sobre mananciais e o desenvolvimento de novas alternativas de produtos. Sob o título ‘A importância socioeconômica e cultural da água mineral no Brasil’, o objetivo do estudo era analisar os impactos sobre as estâncias hidrominerais que seriam decorrentes da introdução no mercado de outras categorias de água, como a das “adicionadas de sais”. Situando seu campo de pesquisa na história das principais estâncias hidrominerais de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, complementada por entrevistas com autoridades, empresários, comerciantes e moradores, concluiu a universidade que essas localidades, concluiu a universidade que essas localidades, diante de uma possível forte concorrência de outras categorias de águas, perderiam suas referências de identidade e de todo um processo econômico, político social e cultural construído em torno das águas minerais naturais. Os resultados alcançados pela pesquisa demonstram que a história da água mineral no Brasil está intimamente relacionada com a vida das comunidades onde nascem, desempenhando um conjunto muito amplo de funções, para além daquelas de mera commodity. As funções da água mineral, destacam os pesquisadores, estão associadas à organização das localidades, ao valor econômico, à geração de empregos, à difusão de tecnologia e à defesa do meio ambiente. Diante dessa multifuncionalidade – princípio ainda tão presente na Europa para justificar medidas de proteção à economia nacional, sob a alegação de defesa do interesse social – o setor de águas minerais naturais constitui precioso caso de reflexão sobre os efeitos da globalização nas nações em desenvolvimento. Isto porque, está claro, conclui o estudo, que a indústria brasileira de águas minerais dificilmente poderá concorrer com um produto assemelhado, mas globalizado. A produção é regionalizada e o setor é composto de centenas de pequenas empresas, geralmente familiares, sem poder de investimento. Nesse caso, os pesquisadores propõem que o exemplo europeu, que leva em conta os efeitos de certas decisões sobre a vida da sociedade, seja seguido pelas autoridades brasileiras. “Todas as características do setor de água mineral integram-no ao conceito de multifuncionalidade, o que requer, por isso mesmo, proteção especial. Não se trata de defesa protecionista da economia nacional contra concorrência estrangeira”, – enfatiza o estudo – “mas da busca da proteção da sociedade contra uma atividade econômica predatória. E esse é um direito inalienável das noções e um dever das suas autoridades.” O trabalho da PUC, quase duas décadas depois, ainda representa um novo enfoque de reflexão para as autoridades brasileiras na busca de uma política nacional de águas potáveis. No que se refere às águas engarrafadas, é preciso repensar as regras que hoje favorecem a atuar no mercado, com uma nova categoria de produto. É preciso proteger as águas minerais, levando em conta a defesa das estâncias hidrominerais, das centenas de micro e pequenas empresas que exploram lavras, dos 200 mil empregos que geram e, finalmente, de todos consumidores brasileiros. Carlos Alberto Lancia Geólogo e presidente da Abinam

CARLOS ALBERTO LANCIA

GEÓLOGO E PRESIDENTE